Nova Jerusalém

O Brasil é um país de muitos feriados, há quem use esses feriados pra não fazer nada. Mas, se você usa seu tempo livre para conhecer novos lugares e outras culturas, uma boa dica pra esse feriado de semana santa é o espetáculo Paixão de Cristo em Nova Jerusalém – PE. Apesar de ser uma história que todos sabemos o final, continua nos emocionando sempre, acho que pelo fato do Brasil ser um país de predominância católica e a maioria de nós termos a educação baseada a partir de paradigmas cristãos, então, nada mais emocionante que um espetáculo retratando os últimos dias de vida de Jesus Cristo.

Calvário esse conhecido por centenas de milhares de pessoas mundo a fora. O espetáculo assim como a história de Cristo tem proporções gigantescas. Tudo isso localizado a 180 km do Recife, encravado no distrito de Fazenda Nova, município da centenária cidade Brejo da Madre de Deus, agreste Pernambucano. A encenação não só atrai turistas brasileiros como também do mundo todo. A visita ao espetáculo não serve só para o turismo religioso como também pode ser uma boa oportunidade para se conhecer o interior brasileiro (pernambucano especificamente).

Como e quando começou? Em 1951 depois de ler em uma revista como os alemães da cidade de Oberammergau encenavam a Paixão de Cristo, um sujeito chamado Epaminondas Mendonça pensou: Também posso fazer algo parecido! E foi assim que começou sem muitas pretensões, basicamente a idéia era retratar os últimos momentos da vida de Jesus, além de claro, dá uma aquecida no comércio local. Os primeiros espetáculos aconteceram na própria vila (a 1 km da cidade-teatro) e era encenado por familiares e amigos.

Já em 1956 chega a Fazenda Nova um camarada de nome Plínio Pacheco, Plínio teve a idéia de criar uma replica da cidade santa de Jerusalém. Porém, o projeto da cidade-teatro só viria a ser concluído em 1968 e desde tal data acontece lá o maior espetáculo ao ar livre do mundo. Apesar de ser uma saga bastante conhecida, as inovações acontecem todo ano para que não se torne enfadonho e para que além de atrair espectadores novos, trazer de volta os que já tiveram a oportunidade de assisti-lo.

Uma novidade esse ano é um dia a mais de apresentação, dia esse que foi dedicado aos idosos e pessoas com dificuldade de locomoção. Para isso serão disponibilizados cinco mil ingressos, duzentas cadeiras de rodas e ainda uma pessoa capacitada a conduzir cada cadeirante. A primeira noite também foi aberta ao público em geral. Nos demais dias serão disponibilizadas cinqüenta cadeiras (cada uma com um acompanhante a disposição). Essa inovação veio a calhar, pois a exclusão física que havia se reduz a quase zero, dando assim a oportunidade de qualquer pessoa poder assistir. Novidade sim, porém sem perder a tradição de quatro décadas. Foi mesclando as duas tendências (tradição e inovação) que desde 1968 a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém a cada ano atrai mais espectadores, sendo vista por mais de dois milhões e meio de pessoas.

Vamos aos números: Começando pelo elenco, formado a cada ano por atores e atrizes nacionalmente conhecidos. Esse ano (2009) nos papéis principais estão Murilo Rosa (Jesus), Emanuelle Araújo (Maria de Madalena) e Oscar Magrini (Pilatos). Além dos 3 citados, a peça ainda conta com mais 60 atores e atrizes renomados da região e com cerca de 500 figurantes. 9 palcos, como o Palácio de Herodes, o Fórum de Pilatos, o Cenáculo da última ceia, 70 torres com 7 metros cada, bigas, etc.

Por se localizar em uma região árida, o terreno é propicio para retratar a Jerusalém de 2000 anos atrás. Os palcos do espetáculo têm o triplo do tamanho dos palcos teatrais fechados. Efeitos especiais de ponta, som estéreo, 800 peças (incluso as reservas) de um figurino impecável. Tudo isso distribuídos numa área murada de 100 m² (um terço da área da antiga Jerusalém), para que durante pouco mais de 2 horas os cerca de 8000 espectadores tenham a impressão de voltar ao passado e serem transportados para dentro de uma das mais conhecidas e contadas histórias do mundo.

Incomparável a, literalmente uma viagem no tempo. Essa é a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém.

Marcilo Ramos (Jataúba-PE,1985) é Historiador e entusiasta da cultura pernambucana. Secretário cultural do C.A (Centro Acadêmico) Eduardo Galeano (UEPB). Faz parte do grupo de estudos Poesia na Escola e membro do cine clube história Eduardo Coutinho (UEPB).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s